SISREG & Cadê os médicos especialistas?

 

Eu tenho uma reclamação geral para todos os políticos.  Cadê os médicos Especialistas?  Já tem mais de 50 anos eles sempre existiram trabalhando dentro dos postos de saúde públicos e dentro dos hospitais públicos da zona sul do Rio de Janeiro. Os médicos de diversas especialidades faziam consulta gratuita para toda a população. Notei existir em vários postos de saúde uma dificuldade gigantesca para os pacientes marcar (agendar) uma simples consulta médica:

  • ginecologista (médico de  mulheres)
  • urologista  (médico de homens)
  • otorrinolaringologista
  • cardiologista (quem cuida da pressão arterial alta ou baixa)
  • angiologista (quem cuida das varizes nas pernas)
  • neurologista
  • fonoaudiólogo
  • odontologia (dentistas)
  • oftalmologista
  • endocrinologista (nutricionistas)
  • gastroenterologista (quem cuida do estômago, fígado, vesícula, etc)
  • etc
Sei que é recomendado a todas as pessoas (adultos), anualmente, partir dos 30 anos de idade, se consultar com médicos de diversas especialidades para fazerem o seu checkup anual de saúde.
Um exemplo, é o Hospital Miguel Couto, além do atendimento de urgência e emergência, existia anos atrás médicos de diversas especialidades médicas trabalhando e atendendo gratuitamente a população em geral dentro de diversos consultórios médicos no interior do prédio, em uma época que ainda não existia esses computadores. Atualmente vi somente médicos clinico geral atendendo a população. Isso é um absurdo total.

SISREG (Sistema Nacional de Regulação de Vagas)

Na semana passada ouvi uma propaganda política na televisão, falando de um SISREG que eu nunca utilizei, e ouvi que a reclamação geral das pessoas que utilizam o SISREG é que ele não está funcionando direito já tem vários meses.  Então eu resolvi investigar na internet o que é esse SISREG.
O sistema SISREG, é o Sistema Nacional de Regulação de Vagas, é um software utilizado pelos governos municipal, estadual e federal para atendimento médico geral da população que utilizam os postos de saúde públicos e os hospitais públicos.
Li que o software sistema SISREG versão 2 parou de funcionar (desde Setembro/2008), há vários anos atrás,  mas notei que ainda existe  diversos domínios de internet (diversos sites) contendo informações desatualizadas do sistema SISREG versão 2.  (Esses sites já deveriam estar desativados)

 

Caso, hoje em dia, ainda exista alguns computadores utilizando o velho sistema SISREG versão 2, as informações existentes nele deverão ser importadas para dentro do SISREG versão 3. E o atendente (servidor público) deverá fazer um treinamento técnico para aprender a utilizar o sistema SISREG versão 3.

Li que o software SISREG versão 3 (desde Setembro/2008), é o atual que os postos de saúde públicos, e os hospitais públicos deverão estar usando atualmente. E que para os atendentes (servidores públicos) poderem utilizar corretamente o sistema SISREG versão 3 deverão fazer um treinamento técnico. Notei que existe na internet diversos domínios de internet (diversos sites) contendo informações relativas ao sistema SISREG versão 3.

CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE (MINISTÉRIO DA SAÚDE)

Em 2015 eu notei que existe também o CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE (MINISTÉRIO DA SAÚDE), e que para o site dele funcionar de forma correta, todos os computadores do governo municipal, estadual e federal, de todos os estados do Brasil, tem que estar interligados em uma rede de computadores, para toda a população do Brasil poderem utilizar.
MINHA PRINCIPAL CRÍTICA É:

Colocaram computadores dentro dos postos de saúde públicos (clínicas da família), e colocaram computadores dentro dos hospitais públicos, e ligaram esses computadores se comunicando com os demais computadores dos governos municipal, estadual e federal.  Até ai tudo bem, se o objetivo principal era melhorar a comunicação entre os hospitais públicos, os postos de saúde públicos, a Previdência Social (INSS) e o Ministério da Saúde (SUS).

Mas o que eu notei é complicação.  As pessoas (adultos) não estão conseguindo ter facilidade para marcar as consultas médicas com os médicos de diversas especialidades: ginecologistas, cardiologistas, otorrinolarinlogistas, endocrinologistas, angiologistas, neurologistas, etc.

Cadê os médicos de diversas especialidades que sempre existiram (já tem mais de 50 anos), trabalhando dentro dos postos de saúde públicos, e dos hospitais públicos municipal, estadual e federal, que atendiam gratuitamente a população em geral dentro de seus consultório médico?

É um tremendo absurdo as pessoas (pacientes) somente encontrarem hoje em dia, médicos clínicos geral e enfermeiros trabalhando.

Por  Ana Mercedes Gauna (27/09/2016)
Analista de Sistemas Senior | MCSE | CCNA2 R&S
CRA-RJ: 03-03161 | ABRAWEB: 66132 | ABRACEM: Q27795

Business Intelligence (BI)

Business Intelligence (BI) pode ser traduzido como inteligência de negócios, ou inteligência empresarial. Isto significa que é um método que visa ajudar as empresas a tomar decisões inteligentes, mediante a coleta e processamento de dados, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte a gestão de negócios, recolhidas pelos diversos sistemas de informação. Ou seja, é o conjunto de teorias, metodologias, processos, estruturas e tecnologias que transformam uma grande quantidade de dados brutos em informação útil para tomada de decisões estratégicas.
ANALISTA BUSINESS INTELLIGENCE (BI), no BRASIL é conhecido por outro nome junto ao Cadastro Brasileiro de Ocupações (CBO) do Ministério do Trabalho e Emprego (www.mtecbo.gov.br)

CBO 2124-05  Analista de desenvolvimento de sistemas

Sinônimos do CBO
  • 2124-05 – Analista de sistemas (informática)
  • 2124-05 – Analista de sistemas para internet
  • 2124-05 – Analista de sistemas web (webmaster)
  • 2124-05 – Consultor de tecnologia da informação
  • 2124-05 – Tecnólogo em análise de desenvolvimento de sistema
  • 2124-05 – Tecnólogo em processamento de dados
  • 2124-05 – Tecnólogo em sistemas para internet

 

Descrição Sumária

Desenvolvem e implantam sistemas informatizados dimensionando requisitos e funcionalidade dos sistemas, especificando sua arquitetura, escolhendo ferramentas de desenvolvimento, especificando programas, codificando aplicativos. administram ambiente informatizado, prestam suporte técnico ao cliente, elaboram documentação técnica. estabelecem padrões, coordenam projetos, oferecem soluções para ambientes informatizados e pesquisam tecnologias em informática.

Formação e Experiência

Para o exercício profissional dessas ocupações, requer-se curso superior completo, em nível de bacharelado ou tecnologia. Podem, também, obter formação específica por meio de cursos de qualificação, com carga horária entre duzentas e quatrocentas horas. A experiência profissional prévia requerida dos titulares para o exercício pleno das atividades é de um a dois anos, incluindo o tempo de estágio.em função da inovação tecnológica, a permanência no mercado de trabalho requer atualização contínua dos profissionais.

Condições Gerais de Exercício

Exercem suas atividades em qualquer setor da atividade econômica, tais como a indústria, o comércio, os serviços, a agropecuária ou a administração pública.podem trabalhar em empresas públicas ou privadas, em geral de médio e grande portes. seu trabalho se desenvolve, majoritariamente em equipe, de forma cooperativa, com supervisão ocasional. não há predominância de um tipo de vínculo de trabalho: os profissionais podem ser assalariados ou trabalhador por conta própria e trabalham em período diurno.

O Analista de Business Intelligence (ou Analista de BI) identifica analisando diversas informações armazenadas em banco de dados, quais são os padrões nos dados armazenados, e tendo como base estes padrões, ele propõe análises em relatórios gráficos ou por meio de laudos técnicos, que preveem o andamento de um determinado produto ou serviço ou comportamento de um determinado cliente. Assim, ele colabora com outras áreas da empresa tais como a área administrativa, financeira e de marketing.

Entre as tarefas exercidas pelo Analista Business Intelligence estão:

  • A configuração técnica de aplicações que realizem a análise de dados;
  • A definição de padrões e melhores práticas de desenvolvimento;
  • A documentação técnica de sistemas web e layout de projetos;
  • A elaboração de um cronograma do projeto e relatórios gerenciais;
  • Análise de requisitos, pesquisa e coleta de dados para tomada de decisões;
  • A gestão de projetos técnicos com liderança de equipes;
  • A negociação de contratos de terceirização de serviços técnicos;

 

O ANALISTA BUSINESS INTELLIGENCE  tem conhecimento técnico e experiência trabalhando com o seguinte:

  • Redes de Computadores (Windows Server ou Linux ou Unix)
  • Banco de Dados SQL (Microsoft SQL Server, Oracle SQL, MySQL)
  • Business Process Management (BPM) (Gestão de Processos)
  • Sistemas ERP (Sistemas de Gestão de Negócios Empresariais)
  • Administração de banco de dados BIG DATA e IoT (Internet das Coisas)
  • Organização & Métodos (O&M)
  • Análise de informações em banco de dados (Data Warehouse)
  • Modelagem lógica da estrutura de dados (informações)
  • Segurança das Informações (ABNT NBR ISO 27001/27002/27003)
  • Gerenciamento de Projetos (ABNT NBR ISO 21500)
  • Técnicas de Administração
  • Técnicas de Marketing de Conteúdo
  • Noções de Contabilidade e legislação
  • Estatística
  • Matemática Financeira

 

Para tornar-se um Analista de Business Intelligence é preciso ter ensino superior completo em área de Tecnologia da Informação, como em Engenharia da Computação ou Ciências da Computação, como ANALISTA DE SISTEMAS ou TECNÓLOGO EM PROCESSAMENTO DE DADOS, etc, e após ter concluído o curso superior, se cadastrar no Conselho Regional de Administração (CRA) para poder obter a carteira do registro profissional.

O mercado de trabalho para este profissional é bastante atrativo, uma vez que ele desempenha papel fundamental nas questões estratégicas da empresa, dando suporte técnico-administrativo para a tomada de decisões corretas, evitando assim possíveis riscos de falhas na execução dos projetos da empresa.

 

 Por:  ANA MERCEDES GAUNA  (14/09/2016)
ANALISTA DE SISTEMAS SENIOR | MANAGEMENT | MCSE | CCNA2
CRA-RJ: 03-03161 | ABRAWEB: 66132 | ABRACEM: Q27795 CONSULTOR TI